Início O cão de gadoManual de criaçãoA conservação do LoboVantagens do Cão de GadoOutros métodos de protecção

Noticias
Eventos
Divulgação
Bibliografia
Os nossos cães
Projectos
Legislação
Colaboradores
Apoios
Ligações
Contactos
Voltar à página do Grupo Lobo

Objectivos | Área de intervenção | Metodologia | Resultados

Resultados

Embora o Projecto dos Cães de gado se encontre em desenvolvimento, apresentam-se alguns resultados já obtidos.

Cães integrados

Desde o seu início, esta linha de acção permitiu a integração, em rebanhos de cabras e/ou ovelhas ou em manadas de vacas, de mais de 300 cachorros pertencentes às raças Cão de Castro Laboreiro, Cão da Serra da Estrela, nas variedades de pêlo curto e pêlo comprido, e Rafeiro do Alentejo, bem como o seu acompanhamento e avaliação. Dos cães integrados cerca de 54% são machos e 46% são fêmeas, maioritariamente pertencentes às raças Cão de Castro Laboreiro (com mais de 170 cães) e Cão da Serra da Estrela de pêlo curto (com mais de 90 cães).

Mortalidade

Os cães de gado, como cães de trabalho muito particulares, estão sujeitos a um grande número de perigos (para além das doenças), como sejam o atropelamento, o tiro, as armadilhas, o veneno ou mesmo o ataque de lobos (embora neste caso o número de situações seja muito reduzido, tendo em conta a presença constante dos cães em território de lobo). Estes perigos resultam numa mortalidade superior aos 40%, que é maior nos 2 primeiros anos de vida.

A mortalidade obtida é baixa quando comparada com a registada noutros projectos nos Estados Unidos da América. Num período de 6 anos, em que foram integrados 449 cães, foi registada uma mortalidade de 50% antes dos 18 ou 38 meses, consoante o tipo de exploração (Lorenz et al., 1986). Num outro estudo com 100 cães, é referida uma mortalidade de 39% nos dois primeiros anos e de 6,3% para os anos seguintes (Green et al., 1994).

Avaliação

A avaliação efectuada permitiu concluir que os cães de gado integrados apresentam uma eficiência bastante elevada. Segundo 90 criadores de gado participantes, a presença dos cães permitiu reduzir, em 74% dos casos, os prejuízos causados por lobos, tendo a diminuição registada variado entre os 13 e os 100% (Ribeiro & Petrucci-Fonseca, 2005).

O comportamento exibido pela maioria dos cães integrados (>90%) é avaliado pelos técnicos e pelos proprietários como Muito Bom ou Excelente (Ribeiro & Petrucci-Fonseca, 2005).

Os criadores de gado participantes estão, em geral, muito satisfeitos com os seus cães, considerando o seu desempenho Muito Bom ou mesmo Excelente, e solicitando frequentemente mais cães para os seus rebanhos.

 

Para mais informações consultar O cão de gado > Eficácia